Busca
Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho | Ir para página inicial

Publicações

Empreender em psicologia: uma opção para a carreira profissional do psicólogo?

Publicado em : 29/07/2016

Autor : Renatto Marcondes*

Imaginemos a situação: um estudante de psicologia, em seus últimos semestres, já tem conhecimento da teoria e do campo de atuação. Realiza seus estágios obrigatórios e conhece o cotidiano de trabalho de um profissional; vê o que aprendeu acontecendo na prática e percebe a sua prática modificando a realidade que o cerca, em decorrência de sua intervenção.  Recebe seus primeiros elogios e reconhecimentos, cria a expectativa de ser importante para a sociedade, percebe que pode alcançar a plenitude da profissão.

Forma-se, e as brincadeiras entre os próprios colegas já surgem: - E aí, mais um desempregado hein? Fato que parece ser apenas uma chacota entre futuros colegas de profissão, no entanto, tem amparo científico: aproximadamente um terço dos recém-formados não trabalham com a profissão tão esperada durante os primeiros dois anos após a formatura. Por que isso acontece? Como a expectativa tão grande que um aluno desenvolveu se transforma em uma frustração tão rapidamente? Seria esse profissional, ou parcela de profissionais, incompetentes? Ou seria a saturação do mercado de trabalho a responsável pela dificuldade de inserção desses profissionais?

Algumas opções surgem em seu horizonte para a inserção, como a distribuição de currículo e o acionamento de colegas no mesmo campo de atuação, em busca de uma indicação. Entretanto, o repertório comportamental do profissional, em muitas vezes, se restringe a essas ações para o desenvolvimento de uma carreira. Poucos, em função de sua história na graduação, ou de outras questões políticas, talvez ideológicas, imaginam que empreender em psicologia seja uma opção.

Mas o que é empreender? Sapiente da brevidade deste espaço, apresento o empreender como uma alternativa, viável e que poderia ser mais explorada pelos psicólogos. Tecnicamente, empreender é uma ação humana, na qual alguém identifica oportunidades de criar futuros produtos ou serviços e desenvolve empreendimentos para oferecê-los. Ou seja, um psicólogo pode observando a realidade que o cerca, em suas constantes mudanças, identificar condições e criar serviços que ofereçam soluções acerca do comportamento humano.

No âmbito da psicologia, já temos grandes exemplos de empreendedores, esforço que exigiria, provavelmente, muitas páginas escritas para contar suas histórias de sucesso. Esses profissionais apresentam comportamentos que se aproximam da auto-eficácia, no enfrentamento e manipulação de condições para o negócio prosperar. Outras aprendizagens fundamentais relacionam-se ao assumir riscos, na defesa das inovações propostas frente a pressão social de seus pares; a formação do networking, imprescindível construção de relacionamentos de parceria profissional; e, principalmente, a compreensão da remuneração como consequência de um trabalho desenvolvido com excelência.

Enfim, um psicólogo, recém-formado ou pleno, independentemente de seu campo de atuação, seja na psicologia organizacional e do trabalho, clínica, desportiva ou outro, de tantas opções que dispomos, pode identificar oportunidades e desenvolver negócios inovadores. Ademais os comportamentos supracitados, bem como muitos outros vinculados, podem auxiliar sobremaneira a carreira profissional de um novo empreendedor, bem como para aquele que decide por não trilhar esse caminho.

 

*Renatto Marcondes é Psicólogo e Mestre em Psicologia Organizacional e do Trabalho pela Universidade Federal de Santa Catarina. Docente de Psicologia da Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) e Faculdade Metropolitana de Blumenau (UNIASSELVI-FAMEBLU), consultor na área de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Ampla experiência teórica e prática nas áreas de treinamento e desenvolvimento, empreendedorismo e orientação para a aposentadoria. Lançou durante o VII CBPOT o livro "Empreender em Psicologia".

Maiores informações em http://www.renattomarcondes.com.br  ou em http://facebook.com/profmarcondes 

Artigos

Como mapear competências em tempos de disrupção?

06/08/2017
Antonio Isidro

O Trabalho Fora do Trabalho

16/05/2017
Lara Barros Martins*

Para Além dos Muros das Organizações

26/04/2017
Jaqueline Puquevis de Souza*

Minha Experiência em uma Empresa Júnior de Psicologia

18/04/2017
Maria da Graça Pereira Santos*

Insalubridades no trabalho dos novos tempos

10/04/2017
Vitor Barros Rego*

Os Desafios da Atuação em Empresas Familiares

01/04/2017
Lidiane dos Anjos Santos Andrade*

Counseling Organizacional

22/03/2017 Dionízio Costta Jr.
Dionízio Costta Jr.*

As contribuições da Ergonomia da Atividade para a Realização de Diagnósticos na Perspectiva da Saúde do Trabalhador

14/03/2017
Marina Greghi Sticca*

Perspectivas de Gerenciamento da Diversidade no Trabalho Doméstico

10/03/2017
Amália Raquel Pérez

O que a Psicologia Organizacional e do Trabalho tem a dizer sobre a crise?

01/03/2017
Profa. Eveli Freire de Vasconcelos

Psicologia Militar: Panorama Atual

17/02/2017
Prof. Dr. Marcos Aguiar de Souza

Preservação da saúde e prevenção de acidentes de trabalho: a urgência da Psicologia nesse contexto

05/08/2016
Profª Drª Magda Macedo Madalozzo

A Importância de buscar entender a cultura de um país: Provérbios Africanos para as Organizações e para a Vida!

26/05/2016
Manoel Alves dos Santos

É possível aprender em cursos a distância?

20/05/2016
Profa. Dr. Thais Zerbini, (Psicologia FFCLRP/USP)

A Aposentadoria sob duas perspectivas e o Exercício Profissional do Psicólogo

13/05/2016
Prof. Dr. José Carlos Zanelli