Busca
Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho | Ir para página inicial

Publicações

Minha Experiência em uma Empresa Júnior de Psicologia

Publicado em : 18/04/2017

Autor : Maria da Graça Pereira Santos

Interessei-me pela empresa júnior no inicio de sua construção, para a qual fui selecionada em meio a tantos alunos. O projeto consistia em criar uma empresa júnior na minha Universidade juntamente com outros alunos do curso de Psicologia. Felizmente alcançamos essa etapa do projeto. Em meu primeiro ano de empresa tive a oportunidade de conhecer mais sobre o empreendedorismo e sobre a Psicologia Organizacional e do Trabalho. Enquanto presidente da empresa, desenvolvi competências essenciais para o exercício profissional em Psicologia que me servirão para a toda a vida, como aprender a liderar equipes de trabalho, planejar e executar projetos na área de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Além disso, conheci outros empresários juniores de cursos diversos, através dos quais pude obter conhecimento sobre o Movimento que articula todas as ações realizadas pelas empresas: o Movimento das Empresas Juniores (MEJ).

As empresas juniores estão inseridas num Movimento amplo que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo por meio do planejamento e execução de projetos nas diversas áreas de conhecimento filiadas a uma determinada Universidade. No meu caso, em Psicologia. Completamente oportuno um espaço de ensino que coloque o aluno em contato com a realidade da sua profissão e a área de interesse para atuação, pois sinto que estou mais preparada para o mercado de trabalho. O movimento das empresas juniores abraça os empresários de maneira sensacional, onde fazemos networking, amizades, apoio para eliminar ou amenizar os problemas da empresa, dos colaboradores. Hoje, eu ajudo meus colegas de curso em dúvidas sobre a POT, sobre as empresas juniores, sobre a importância desse espaço para a formação de profissionais da Psicologia mais conscientes e compromissados com a profissão no país.

Lembro-me da primeira vez que tive a oportunidade de sentir como é entrevistar pessoas, como avalia-las e qual é o real significado de aprender com a prática. Entrevistei com aquele nervosismo, mas ciente de que o meu trabalho estava sendo feito com o conhecimento que adquiri. Empresa Júnior surge como uma possibilidade de aprender com a prática, superando todos os dias as adversidades pessoais para conseguir uma excelência no que se propõe a fazer. Foi por meio da empresa júnior que perdi o receio de falar em público, que aprendi a administrar melhor o meu tempo, minhas atividades e, claro, liderar uma equipe com mais de vinte colaboradores, com todo o seu dinamismo. Nesse processo, percebi que toda a teoria ensinada na Universidade e nas capacitações realizadas dentro da empresa ganharam sentido no trabalho que eu estava exercendo, o que me fez questionar: “sou apenas uma aluna, como posso fazer tanto?” Eu estava, e continuo, ativa em minha formação. Eu sou protagonista nesse processo de ensino-aprendizagem.

Minha empresa júnior possui como meta atual criar uma biblioteca com livros, em especial da Psicologia Organizacional e do Trabalho, pois entendemos que o respaldo teórico é primordial para uma prática mais eficiente, consciente e de qualidade, evidenciando que nessa metodologia de aprendizagem experiencial, a teoria é primordial. E esse é um ótimo passo para o desenvolvimento dos nossos colaboradores! Costumo dizer para os meus amigos e colegas de trabalho que eu me sinto muito mais preparada para o mercado de trabalho, pois aprendi muito praticando por meio de projetos, justificando o quanto uma empresa júnior pode fazer a diferença na vida profissional de um aluno.

 

Maria da Graça Pereira Santos* é aluna do CEUMA (MA) e foi presidente da PsiWorks - Empresa Júnior de Psicologia

Artigos

Volume 1 - Home Office Guidelines in the COVID-19 pandemic

27/05/2020
Download version in English. Volume 1 - Home Office Guidelines in the COVID-19 pandemic

Home Office: O Papel da Ciência, Orientações Médicas e Cuidados com o Ambiente

10/05/2020
Thaís Zerbini & Talita Zerbini

Desenho do Trabalho e Aprendizagem em Contexto de Pandemia

10/05/2020
Jairo Eduardo Borges-Andrade & Nara Saddi de Paiva Sampaio

Desempenho no Trabalho: Desafios para Trabalhadores e Gestores em Teletrabalho Compulsório

10/05/2020
Hugo Sandall & Luciana Mourão

Bem-estar e Estresse Ocupacional em Contexto de Distanciamento Social

10/05/2020
Amalia Raquel Pérez-Nebra, Mary Sandra Carlotto & Marina Greghi Sticca

Significados e Sentidos do Trabalho do Home-Office: Desafios para a Regulação Emocional

10/05/2020
Sonia Gondim & Lívia de Oliveira Borges

Conciliação trabalho-família no teletrabalho compulsório

10/05/2020
Lara Barros Martins, Carolina Villa Nova Aguiar & Antônio Virgílio Bittencourt Bastos

Ajustes e Mudanças Organizacionais em Tempos de Pandemia da COVID-19

10/05/2020
Juliana Barreiros Porto, Katia Puente-Palacios & Elaine Rabelo Neiva

O teletrabalho e a crise da Covid-19: Reflexões a partir de pontos abordados pela pesquisadora Dra. Gardênia Abbad*

06/04/2020
Lara Barros Martins

Como mapear competências em tempos de disrupção?

06/08/2017
Antonio Isidro

O Trabalho Fora do Trabalho

16/05/2017
Lara Barros Martins*

Para Além dos Muros das Organizações

26/04/2017
Jaqueline Puquevis de Souza*

Insalubridades no trabalho dos novos tempos

10/04/2017
Vitor Barros Rego*

Os Desafios da Atuação em Empresas Familiares

01/04/2017
Lidiane dos Anjos Santos Andrade*

Counseling Organizacional

22/03/2017 Dionízio Costta Jr.
Dionízio Costta Jr.*